terça-feira, 28 de março de 2017

Não adianta rezar. Tem que estudar

Passei o dia resolvendo mil coisas e, na volta, encontrei colaborações variadas — todas. claro, encontradas no Globo (onde mais?).

Brincadeiras à parte, antes mesmo de eu sair a assídua colaboradora já tinha mandado um baita título com um "decidir sobre".

Até é aceitável pela regra. mas, como ela, implico com o uso. É feio pra burro!

Na página 4, lendo a respeito das horríveis brigas de torcida, um amigo encontrou a frase:

"A prisão temporária de (Fulano, Beltrano etc.) termina hoje, mas pode ser revogada por mais cinco dias".

Revogada por mais tempo?!? Acho que queriam dizer estendida, ou prolongada, né, não?

Pensam que acabou? Pois tem mais!

A querida amiga foi ler entrevista com a simpaticíssima Octavia Spencer (na editoria Cultura, hein?!) e tascaram lá que ela disse que "está à serviço do papel" (no caso, pelo que entendi, do Deus católico, no filme "A cabana").

Sinto muito, mas ela não disse essa bobagem, porque não existe crase em Inglês e, no Português, ela não antecede o masculino (as exceções são "àquilo" e "àquele", quando há preposição).

Nem rezando pra todo o panteão nórdico, greco-romano, africano...

quinta-feira, 23 de março de 2017

É mesmo impressionante!

Na imagem, fizeram uma coisa menos ridícula


As maravilhas não cessam!

Vejam a manchete extraordinária encontrada pelo atento amigo:

"IMPRESSIONANTE

Astronauta tira fotos da Terra a partir do espaço
".

Mui apropriadamente, ele pergunta:

"De onde mais um astronauta tiraria fotos da Terra?"

Tive que rir.

quarta-feira, 22 de março de 2017

Deu um branco

O atento amigo mandou ontem as duas pérolas do Globo que reuni em uma só imagem.

A da capa causa estranhamento pela regência: se a gente "fiscaliza as contas", "fiscaliza uma obra" etc., por que a fiscalização seria "A" frigoríficos? O que justifica a preposição?

Já a da nota de Gente Boba é pleonasmo mesmo. O que o pessoal pensa que é "lacuna" por lá?

segunda-feira, 20 de março de 2017

Porções e porções de bobagem

Definitivamente, ou O Globo acha que falamos Inglês no Brasil ou, graças à tão alardeada "revolução digital", usa tradutor gratuito da internet e aboliu até o corretor ortográfico nos computadores.

Só um absurdo do gênero justifica essa coisa que o atento amigo encontrou naquela revistinha chinfrim de domingo:

os produtos orgânicos "já porcionados"!

Acredite! Inventaram o verbo "porcionar" e, em vez de separar legumes e verduras em PORÇÕES, ouviram "portioned" em algum lugar e tascaram no jornal, em título e texto.

Eu não compro um trem desses!

Já basta o tanto de aditivo que estão descobrindo na nossa comida por aí.

sábado, 18 de março de 2017

Aqui se fala Português. Será?!

Sabe aquele jornal EM QUE você procura um erro e acha vários?

Pois é.

Hoje ele tem hífen errado em título da editoria de Esportes (leiam a regra do "anti", colegas); coisas que não são entregues DE UM modo certo, mas "em" ("em um lugar certo", tudo bem)...

A elegante colaboradora viu nobres que não se encontram COM sobreviventes: do jeito que está, parece que eles "se descobriram sobreviventes", saDispensar
 
be-se lá de quê.

E a assídua colaboradora achou uma incrível em página inteira de anúncio (pode não ser da lavra do Globo, mas está lá e deve ter custado uma baba):

"Nenhuma planta da JBS foi interditada (...)"!

Ninguém esperava tratamento diferente para produtos da horta numa empresa que trabalha com carne.

Ou também havia projetos de arquitetura nas salsichas?

Para de copiar o Inglês, pessoal! No Brasil, de ricas fauna e flora, "planta" não é "fábrica", não é "indústria".

E, não custa lembrar, imagem "gráfica" é essa bagunça que eu fiz aí. Favor não confundir com "forte" e/ou "explícita".

sexta-feira, 17 de março de 2017

Quem fabrica os pássaros?


O amigo que não deixa passar uma me mandou a manchete do Globo com a pergunta:

"O que é uma fábrica de aves?"

Taí uma coisa que eu gostaria de saber.

Sugiro que o editor conserte o subtítulo, em que também falta uma conjunção aditiva e sobra plural, não é?

O 'após-calipso'

Alguém ainda duvida que a irritante modinha do "após" é, na verdade, uma praga?

Dá só uma olhadinha nesta amostra do Globo de hoje.

Não foi preciso mais que uma folheada para encontrar os "após" da foto.

Imagina "após" uma leitura atenta?!